A Associação Parkinson do RS - APARS, fundada em 2002, tem o propósito de contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas afetadas pela doença de Parkinson e de seus familiares. É uma entidade sem fins lucrativos, políticos ou religiosos, de caráter beneficente e educativo. Sobrevive unicamente graças à sua contribuição, pois não possui nenhuma outra fonte de receita. Entre as ações que realizamos estão: apoio, orientação e informações aos portadores da doença de Parkinson, seus familiares e cuidadores; palestras a cargo de profissionais da saúde, tais como neurologistas, neurocirurgiões, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, entre outros, e promover ações junto a entidades públicas visando garantir o acesso regular aos medicamentos.
Nossas atividades se desenvolvem na AMRIGS e IPA, os quais nos apoiam e ainda contamos com o suporte do SIMERS e Naturovos.

sábado, 11 de junho de 2011

Estado ganhará Instituto do Cérebro / RS
PORTO ALEGRE, SÁBADO, 11 DE JUNHO DE 2011 - O Estado ganhará, até novembro, o primeiro centro especializado em diagnóstico e tratamento de doenças relacionadas ao cérebro. As obras físicas do Instituto do Cérebro, localizado no campus da PUCRS, devem ser concluídas até agosto. O atendimento prioritário será para o SUS.

De acordo com o diretor do Instituto, Jaderson Costa da Costa, o centro representará um momento histórico em relação aos problemas neurológicos. "Trata-se de uma quebra de paradigma no diagnóstico e investigação de doenças neurológicas", garantiu.

O Centro de Imagem Molecular do Instituto do Cérebro será o primeiro do Estado a trabalhar com um equipamento de ressonância magnética conhecido como 3 Tesla. "O maior benefício para o paciente é que poderemos encontrar um tratamento mais adequado para diversas doenças", salientou. Haverá ainda laboratórios de radiofarmácia.

Para Costa, existe uma demanda reprimida no RS e ainda não há uma estimativa de quantas pessoas poderão ser beneficiadas pelo instituto. "Com certeza, o envelhecimento da população representará um grande contingente de pacientes", disse. Entre os problemas que poderão ter novas possibilidades de tratamento estão o mal de Alzheimer, Parkinson, Esclerose Lateral Amiotrófica, além de AVC, sequelas neurológicas e Epilepsia. Fonte: Correio do Povo RS.

Nenhum comentário: