A Associação Parkinson do RS - APARS, fundada em 2002, tem o propósito de contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas afetadas pela doença de Parkinson e de seus familiares. É uma entidade sem fins lucrativos, políticos ou religiosos, de caráter beneficente e educativo. Sobrevive unicamente graças à sua contribuição, pois não possui nenhuma outra fonte de receita. Entre as ações que realizamos estão: apoio, orientação e informações aos portadores da doença de Parkinson, seus familiares e cuidadores; palestras a cargo de profissionais da saúde, tais como neurologistas, neurocirurgiões, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, entre outros, e promover ações junto a entidades públicas visando garantir o acesso regular aos medicamentos.
Nossas atividades se desenvolvem na AMRIGS e IPA, os quais nos apoiam e ainda contamos com o suporte do SIMERS e Naturovos.

sábado, 27 de setembro de 2008

Sob a lei da superação
27 de setembro de 2008 | Conheça histórias de quem aprende a driblar dificuldades impostas por doenças neurodegenerativas

Aos 45 anos, com os três filhos criados, Ângela Possebom Garcia estava prestes a abrir uma empresa de eventos com a irmã quando viu sua vida ser enclausurada dentro de um corpo que não obedecia mais a seus comandos. A perda de parte dos neurônios contidos na substância negra do cérebro paralisou seu lado esquerdo e a obrigou a mudar de direção. O diagnóstico do Parkinson desmanchou seu sonho de usar o diploma de Administração de Empresas, mas a colocou diante de uma nova missão. Passada a fase inicial de choque, ela decidiu ajudar os que, como ela, têm de conviver com uma doença sem cura, degenerativa e progressiva.

– Se adiantasse eu me revoltar contra a situação, eu me revoltaria. Mas não adiantava. Percebi que quanto mais eu ajudava os outros, menos sentia a doença se apoderar de mim – lembra Ângela, que tem hoje 54 anos. (segue...) Fonte: Zero Hora.
_____________________________________________

Mais na Zero Hora de 27 de setembro de 2008 (clique a mãozinha para ler abaixo):
- “Companheiro indesejável” começa assim...
- Um ateliê para ocupar a cabeça...
- Portador precisa saber o que vem pela frente...
- Uma doença no meio do caminho...

Nenhum comentário: